Crescer Emocionalmente

Postado em: janeiro 13th, 2018 por Rosa Valgode

Crescer Emocionalmente

O Projeto Rudá é o programa de Reeducação Espiralada da Terra de Rudá  que tem como objetivo a manifestação do ser humano em plenitude. Para nossa melhor compreensão, ele se divide em dez itens principais, como já colocamos anteriormente. O primeiro dos dez itens aborda o crescimento emocional.  Seguem-se alguns comentários sobre ele.

1 -Crescer Emocionalmente: através de uma abordagem psicológica que ajude a integrar conteúdos emocionais não realizados no interior de cada um, promover a emancipação de adultos regredidos emocionalmente em indivíduos verticalizados, autores de suas Vidas, que se puseram de pé. ”

– Porque tenho que ralar tanto e para os outros as coisas são tão fáceis?

– Tenho dedo podre para o amor, não é possível!

– É tanta confusão na minha família… no próximo ano vou passar o Natal fora.

– Sou peixe fora da água mesmo, sinto-me completamente estrangeiro no mundo.

– É tanta pressão…………………..…..”

Pode ser diferente? Pode.

A Terra de Rudá se utiliza da Psicologia do Numinoso, uma psicologia que faz interface com o sentido espiritual da vida – sem vínculos com nenhuma tradição religiosa – e que prioriza a qualidade de contato da pessoa com ela mesma.

Temos a convicção de que o corpo emocional ferido e, portanto, imaturo, é uma das principais causas que corroem o exercício da Potência do Ser que naturalmente constitui cada um. É tão comum a idade cronológica não corresponder à idade emocional – pessoas se portam de forma regredida sem terem consciência das perdas que isso acarreta para a realização de suas vidas. Acabam por culpar a vida, os outros e o mundo. Quanto mais a cultura enaltece a juventude e nos distrai da nossa interioridade, mais se confunde imaturidade com vitalidade e liberdade. Feridas emocionais também podem nos deixar amargos,com a alma medrosa, envelhecida e rígida.

A questão psicológica, mesmo hoje em dia, ainda fica restrita para ser valorizada mesmo só quando um problema já se encontra instalado e manifestado, portanto, no momento em quese necessita de tratamento.  O processo educacional nas famílias e escolas ainda não absorveu, como parte da educação, a necessidade de incorporar a dimensão psicológica profunda na sua estrutura, seja para crianças, seja para adultos. A Terra de Rudá insiste na necessidade do trabalho emocional como pilar pedagógico para garantir a real liberdade de ser e a potência criativa individual ter condições de fru ição. Seres libertos e criativos constroem uma sociedade justa, respeitosa e amorosa.

A Psicologia do Numinoso considera os fatos que nos ocorrem no nível pessoal e coletivo como diagnósticos e também como mananciais. Diagnósticos, porque revelam como estamos (não é possível que uma pessoa emocionalmente madura tenha uma vida cheia de confusões, por exemplo). E mananciais, porque podem despertar a seiva propulsora da cura emocional, ao invés de serem considerados apenas como as causas dos problemas que precisamos resolver.  Todos nós possuímos capacidade de integrar conflitos e dores desde que os significados mais profundos destes sejam maturados pela sua compreensão emocional. Isso é um aprendizado.

As atividades da Terra de Rudá – publicações, textos, palestras, workshops e retiros são campos de partilha do conhecimento e de vivências dedicados a instrumentalizar  essa compreensão da alma, das dinâmicas emocionais que nos aprisionam, conscientes ou não, mas que mantêm o indivíduo fazendo escolhas e respondendo à vida  aquém da sua capacidade real.

Enquanto houver feridas emocionais,  permaneceremos cindidos entre o “certo social” e o certo para a nossa alma, como meninos e meninas assustados diante do mundo, fazendo qualquer coisa que confira algum alívio imediato para os nossos medos, culpas, raivas, ressentimentos e angústias. Assim, acabamos caindo em sucessivas armadilhas nas diferentes áreas da vida, apesar de nossas reais boas intenções.

A integração emocional nos devolve a capacidade de sermos autores da vida que vivemos. Ser autor é ser capaz de fazer escolhas tradutoras da nossa identidade real no campo afetivo, profissional e na partilha sócio-coletiva.  Assim, discurso e gesto se tornam coerentes e plenos de energia realizadora.  Então, tornamo-nos pontes de conexão céu-terra, pontes entre níveis de consciência mais e mais elevados e o nosso caminhar a cada dia. Essa é uma maravilhosa aventura, independente das alegrias do momento ou das dificuldades que se apresentam. A essa aventura chamamos surfar o fluxo da vida ou, ainda o deguste da  Grande Festa, em qualquer idade e situação e que depende, no entanto, diretamente da integração dos conteúdos psíquicos. Não há como driblar essa condição.